Agência colocou a questão política em primeiro lugar, diz professor