Seminário sobre Reforma da Previdência reúne especialistas na FGV - FGV Notícias - 24/02/2017

Clique aqui para acessar o website oficial do evento.

Clique aqui para outras informações sobre o evento.

O seminário Reforma da Previdência, realizado no dia 20 de fevereiro, debateu a revisão do sistema previdenciário. O evento reuniu especialistas para analisar a proposta de reforma da previdência, em discussão no Congresso Nacional. No seminário foram avaliados os aspectos econômicos das medidas propostas e as questões políticas e institucionais do processo da reforma.

O evento foi aberto ao público e teve a participação do presidente da FGV, Carlos Ivan Simonsen Leal; do diretor da Escola de Direito do Rio de Janeiro (Direito Rio), professor Joaquim Falcão; do diretor do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), Luiz Guilherme Schymura; e do diretor da EPGE – Escola Brasileira de Economia e Finanças, professor Rubens Penha Cysne na mesa de abertura. Dentre os participantes, nomes como Carlos Gabas, ex-ministro da Previdência Social; José Cechin, diretor executivo da Federação Nacional de Saúde Suplementar e Marcelo Abi-Ramia Caetano, Secretário da Previdência Social do Ministério da Fazenda.

O professor Carlos Ivan defendeu a urgência da necessidade de mudança do atual sistema de aposentadorias. “Não fazer a reforma não é uma opção. O que estamos decidindo é um caminho para o futuro”, ponderou o presidente da FGV.

Já o Secretário Marcelo Caetano destacou que a reforma é fundamental para garantir a sustentabilidade do sistema previdenciário e afirmou que o governo quer aprovar a reforma da previdência da forma mais fiel à proposta original, encaminhada ao Congresso. “Mesmo com a reforma, não será possível acabar com o déficit, pois a despesa tem uma trajetória muito crescente. Mas ela vai manter a despesa previdenciária como proporção do PIB estável, ainda que cresça em termos reais”, avaliou o secretário, lembrando também que o déficit da Previdência, considerando as aposentadorias rurais e urbanas do país, atingiu R$ 150 bilhões no ano passado e deve ficar no patamar de R$ 180 bilhões em 2017.

 

Via FGV Notícias